EDP inaugura projeto de monitoramento de redes por drones

EDP, distribuidora de energia elétrica do Espírito Santo, inaugurou no final de 2018 o primeiro sistema autônomo para monitoramento e análise de redes elétricas do setor no País. A operação consiste na disponibilização de drones de última geração para inspeção dos ativos de energia nas áreas de distribuição e transmissão da companhia no Espírito Santo.

Regularizado pela Aneel, o projeto SIAD-AERO (Sistema Autônomo-Cooperativo de Planejamento e Execução de Inspeção de Ativos de Energia) é composto por plataforma integrada com uma série de sensores embarcados em drones com asas fixas e rotativas. Essa tecnologia será responsável por gerar e processar imagens das redes para identificar possíveis anomalias existentes no sistema elétrico. Após as análises, as unidades móveis de apoio da EDP estarão aptas para extrair os dados das câmeras.

Por meio de algoritmos com uso de inteligência artificial, os drones poderão também diagnosticar com agilidade e precisão o melhor plano de manutenção das subestações e redes, otimizando o tempo do operador e minimizando os riscos das atividades de campo.

“A aplicação deste projeto em toda a área de concessão da empresa reduzirá o tempo de inspeção das redes em até um quarto, o que impacta positivamente na qualidade e segurança do serviço prestado aos consumidores”, destaca João Brito Martins, diretor da EDP no Espírito Santo.

A iniciativa deve beneficiar os mais de 1,5 milhão de clientes da EDP no Espírito Santo, garantindo mais eficiência no fornecimento de energia. A nova tecnologia potencializará a evolução dos indicadores de qualidade estabelecidos pelos órgãos regulatórios, como o DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) e FEC (Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora), que correspondem ao volume de horas que os clientes ficam em média sem energia e a frequência com que isto ocorre num intervalo 12 meses.

 

Nos dois casos, os números da EDP já estão bem abaixo do limite estabelecido pela Aneel. Atualmente, no Brasil, um cliente fica, em média, 14,35 horas por ano sem energia elétrica. No Espírito Santo, por exemplo, no acumulado do ano até o mês de novembro, os clientes ficaram 8,11 horas com o fornecimento de energia interrompido.

Inédito no Brasil

A EDP é a primeira empresa do setor elétrico a utilizar sistemas autônomos (drones) para o monitoramento e análise de redes elétricas. “Estamos sempre atentos às tecnologias mais avançadas e inovações que possam aprimorar os serviços prestados e, consequentemente, aumentar a satisfação dos nossos clientes. Com este projeto, será possível realizar as inspeções com mais eficiência, garantindo a qualidade da rede e do fornecimento de energia”, comenta João Brito Martins.

Os drones terão câmeras de alta resolução e recursos como infravermelho, ultravioleta e ultrassom para gerar relatórios automaticamente após o fim das análises. No Espírito Santo, a EDP contará com o apoio de dois drones que poderão realizar voos cooperativos para traçar diagnósticos mais detalhados para o sistema.

As aeronaves fazem parte do único projeto do País com as certificações Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Conteúdo Relacionado

MAURICIO GODOI, DA AGÊNCIA CANALENERGIA, DO RIO DE JANEIRO (RJ) Enquanto o mercado nacional discute
A Light está desenvolvendo um catalisador para ser instalado no interior das câmaras, que vai
O futuro traz uma nova forma de mobilidade automobilística - a mobilidade elétrica. De acordo
Por Canal Energia Wagner Freire O programa de pesquisa e desenvolvimento para mobilidade elétrica recebeu
Fazer uma viagem de veículo elétrico já é uma realidade no Brasil e em breve