Veículos elétricos e as estradas do Brasil

Fazer uma viagem de veículo elétrico já é uma realidade no Brasil e em breve os quilômetros de eletrovias irão aumentar. As distribuidoras de energia do País estão investindo na construção de postos de carregamento e hoje já são diversas cidades interligadas com eletropostos a disposição da população.

A maior eletrovia do Brasil possui 730 quilômetros de extensão e liga o Porto de Paranaguá às Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, no Paraná. Ao todo, são 11 eletropostos espalhados ao longo de toda BR-277, que cruza o Estado. Essa eletrovia é fruto de uma parceria da Copel com a Itaipu Binacional. Os eletropostos estão em funcionamento em Paranaguá, Curitiba, Palmeira, Fernandes Pinheiro, Prudentópolis, Candói, Laranjeiras do Sul, Ibema, Cascavel, Matelândia e Foz do Iguaçu.

Cada eletroposto tem 50 kVA (kilovoltampere) de potência e três tipos de conectores, próprios para atender os modelos de veículos elétricos ou híbridos disponíveis no Brasil. As estações são todas de carga rápida e gratuita: gasta-se entre meia e uma hora para carregar 80% da bateria da maioria dos veículos elétricos.

Também já é possível viajar, partindo de Florianópolis, pelas praias de Santa Catarina, passar por Blumenau, no Vale do Itajaí, até chegar a Joinville no norte do Estado. Desde 2018, a Celesc Distribuição instalou 7 eletropostos ao longo de todo esse importante trajeto do Estado.

As estações contam com equipamentos inteligentes que conectam o veículo à rede elétrica e coordenam seu carregamento, contabilizando a energia consumida e transmitindo informações ao usuário por um aplicativo no celular. Dessa forma, o motorista ou ciclista pode percorrer cerca de 300 quilômetros de estradas em Santa Catarina, em um meio de transporte movido exclusivamente a eletricidade.

Com unidades em Florianópolis, Porto Belo, Araquari, Joinville e Blumenau, o “corredor elétrico” da Celesc é um dos maiores em extensão do país e foi desenvolvido em parceria com a Fundação Certi.

Recentemente, a EDP e a Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), por meio do Senai, inauguraram, na praia de Camburi, em Vitória (ES), o primeiro posto de carregamento rápido de veículos elétricos. No total, o projeto prevê instalar sete postos no Espírito Santo. Além de Vitória, as cidades de Cachoeiro do Itapemirim, Venda Nova do Imigrante, Guarapari, Linhares, São Mateus e Nova Venécia também receberão os postos de recarga de veículos elétricos.

Cada unidade permitirá o abastecimento simultâneo de dois automóveis, no sistema de recarga rápida, em apenas 30 minutos é possível carregar 80% da bateria. Com plugues universais, a rede capixaba de eletropostos beneficiará também os proprietários de veículos híbridos que optarem por rodar apenas no modo elétrico.

Já a CPFL Energia investiu R$ 17 milhões na construção de um laboratório real sobre veículos elétricos e instalou 25 eletropostos, sendo oito em locais públicos em Campinas (SP), dois nas Rodovias Anhanguera e Bandeiras, na altura de Jundiaí (SP), e 15 em locais privados para avaliação de diferentes perfis de uso. Com isso, foi consolidado entre Campinas/Jundiaí/São Paulo o primeiro corredor intermunicipal para esses veículos no Brasil, com pontos de recarregamento públicos em ambos os sentidos (Capital – Interior).

A eletrificação automotiva segue tendências da indústria automobilística internacional e atende ao Acordo de Paris, que exige novas soluções de geração e consumo de energia baseadas em fontes renováveis e tecnologia sustentável. E as distribuidoras de energia elétrica brasileiras estão investindo em conhecimento e em infraestrutura para abrir caminho ao futuro da mobilidade elétrica.

Conteúdo Relacionado

MAURICIO GODOI, DA AGÊNCIA CANALENERGIA, DO RIO DE JANEIRO (RJ) Enquanto o mercado nacional discute
A Light está desenvolvendo um catalisador para ser instalado no interior das câmaras, que vai
O futuro traz uma nova forma de mobilidade automobilística - a mobilidade elétrica. De acordo
Por Canal Energia Wagner Freire O programa de pesquisa e desenvolvimento para mobilidade elétrica recebeu
PROJETO ARQUITETÔNICO DA USINA ENERGÉTICA, QUE TEM PREVISÃO DE CONCLUSÃO DAS OBRAS EM 2020 (FOTO: